sábado, 20 de novembro de 2010

Madre Cruel

"As palavras vivem e morrem. A língua está em constante transformação. Não é estática. A todo momento recebe as influências do cotidiano, surgindo novos vocábulos, neologismos que em geral vão buscar suas formas no modo de viver, nos costumes, no comunicar do povo”.

José Sarney, vulgo Madre Superiora, na Folha desta sexta-feira, assassinando o idioma para ensinar como as palavras conseguem sobreviver.
Fonte: Augusto Nunes

*Não temam os demônios.Cuidem de observar os políticos.

Massa

"É preciso melhorar a massa encefálica dentro do cérebro para as pessoas compreenderem que as mulheres devem ser respeitadas."(Lulas Ignácio l)
*Qual será o tempero?Aulas com Dilma e Lula?

*“Da mesma forma que a gente faz a reforma agrária na terra, é preciso fazer uma reforma aquária, na água“.(Lulas Ignácio l)


*Eu nasci banguela e analfabeto.(Lulas Ignácio l)

Dilma chamou seus colegas de partido de "porquinhos"

Para quem vive num chiqueiro moral a metáfora é perfeita.

*As víboras não irão sossegar enquanto não matarem a imprensa livre.

*Ostracismo é uma doença das elites.Só pega quem come ostras.(Lulas Ignácio l)

O Brasil que se abstém

Os companheiros choram nos discursos;parecem humanos sensíveis, mas não são.O valor da vida dependa da cor da camisa que a vítima usa.

Seguidores

Arquivo do blog