sexta-feira, 1 de junho de 2012

“Na política, há o interesse próprio, e o resto estou procurando descobrir.”

Ronaldinho Gaúcho é alvo do Málaga, do Catar e de americanos

Para toda droga há consumidores interessados.

Fumo causará 37% dos casos de câncer no país

Estou livre desta praga. Só fumo cigarro que causa impotência (Climério)

Em 4 bilhões de anos, a Via Láctea deixará de existir

Pois que fiquem todos preparados...
Pela tempo de espera, a ansiedade é que irá me matar um pouco antes disso acontecer.

Empresa de Cachoeira bancou serviço eleitoral para governador de GO

Foi a turma do Cachoeira que matou Odete Roitman? E Salomão Ayala? E assim vamos deduzindo que o pau que bate em Paulo não bate em Pedro... Querem passar a impressão que o Cachoeira é o bode, os demais, mansas ovelhas de lã branca.

O Conselho de Direitos Humanos da ONU resolveu pedir o fim da Polícia Militar no Brasil. Depois reclama que ninguém lhe dá ouvidos! (Tutty)

COISA DE TARADO

O deputado que deixou cair de seu bolso no plenário da Câmara uma calcinha vermelha e branca GG é até agora o único suspeito de envolvimento no roubo de um vibrador de ouro de R$ 8 mil levado de uma sex shop em Brasília.
Claro que, mais até que qualquer outro no Congresso, o suspeito tem o direito constitucional de ficar calado.
Tutty Vasques

"Agora sim Ronaldinho poderá jogar no Grêmio...Barueri."

Após saída, Ronaldinho diz levar só 'coisas boas' do Flamengo

Na mala do mala por certo não estarão as vaias recebidas no último jogo.

O QUASE MINISTRO

O quase ministro

Foto
Durante anos o paulista Castilho Cabral acreditou que quase foi ministro de Jânio Quadros. Tudo por causa de um telefonema nos dias em que o presidente eleito se encontrava em Paris: “Monsieur Castilhô... Monsieur Quadrôs...”, anunciou o telefonista. A voz de Jânio apareceria em seguida:
- Castilho, meu bem! Preciso de você no ministério, mas quero uma resposta agora...
Subitamente um ruído cortou a conversa, naqueles tempos sem DDD.
- Monsieur Castilhô, São Paulô... – insistia o tal telefonista, entre chiados.
Era tudo uma brincadeira de dois amigos, Otto Lara Rezende (o “telefonista” parisiense) e José Aparecido de Oliveira, imitando Jânio.
CH

“Ele, o deus tupiniquim fez tudo, ou quase tudo. À mentira, ele deu cores Made In Brazil.”

“Bato em alguns (com palavras) para acordar e não para machucar.” (Mim)

“O bom humor e o riso construíram o muro que impede o ódio de entrar em meu coração.”

O silêncio de Lula

Diante do fatídico encontro de Lula e Gilmar Mendes no escritório de Nelson Jobim, Esperidião Amin produziu a seguinte maldade no plenário da Câmara, ontem à noite:
– O período em que a popularidade da presidenta Dilma mais subiu foi, por uma triste coincidência, o mesmo em que Lula passou em silêncio.
Por Lauro Jardim

"Quanto mais se aproxima o julgamento do mensalão, mais aumenta a venda de fraldas."

Senado tem “apagão” de papel higiênico

Com tanta gente amedrontada andando pelo Congresso nesses dias de CPI mista do Cachoeira, servidores do Senado ainda tiveram de conviver nesta semana com um desses ingratos imprevistos mundanos: um “apagão” no fornecimento de papel higiênico para os gabinetes dos senadores.
Por Lauro Jardim

Seguidores

Arquivo do blog