segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

Mingau de araruta


  Para ficar no relacionamento Brasil-Russia, é bom lembrar uma historinha que se não tiver sido verdadeira, pelo menos poderia.
                                                                  Quando da coroação do Csar Nicolau II,  o Imperador D. Pedro II  mandou significativa representação nacional  para homenagear aquele que seria o último déspota  coroado das estepes.  Na fila dos cumprimentos, um barão brasileiro gaiato comentou com um general ingênuo  que os idiomas eram tão díspares que Sua Majestade não entenderia nada do que ele falasse, prestando-se a ocasião para desopilar o fígado.  Diante do Csar, sob as rígidas regras do protocolo, falou: “Parabéns, “seu” Nicolau. Quer mingau?”
                                                                  A resposta veio fulminante: “Só se for de araruta, seu filho da puta”.  Dominando diversas línguas, o Imperador russo também sabia português e tinha bom humor...

Carlos Chagas

Número de divórcios cresce e bate recorde no Brasil em 2011, diz IBGE

Para evitar muito rolo e gastança o negócio é apenas juntar os trapos. Não deu, cada um para seu lado. Mas tem muita família que é cega. A moçoila já deu mais que chuchu na cerca, mas casa no civil e na igreja (véu e grinalda) com tremenda festa para impressionar vizinhos e parentes.

“Sou ateu e não penso em fazer seguidores. Que cada ser encontre a porta do entendimento que o faça feliz.” (Mim)

“Logo hoje que eu estava esperando uma ligação de Deus cortaram meu telefone fixo. E o celular só funciona em ligações feitas do inferno.” (Mim)

Demissões por corrupção: maior número em nove anos

Serão os maus exemplos vindo de cima?

“A primeira coisa que um mentiroso faz ao ser pego e prometer nunca mais mentir. Recomeça aí.” (Pócrates)

“Não corto calos. Leonardo Boff não fala com árvores? Eu falo com meus calos; são de estimação.”(Pócrates, o filósofo dos pés sujos)

Presidente Dilma promete 6.000 creches, mas só entrega sete

Governo de papel faz 'papelão'. E olha que sete é um número mentiroso. Não está tudo combinando?

A BELA E A FERA


Dilma, a incorrigível


16/12/2012
 às 23:10 \ Sanatório Geral

Moscou na Índia

“O governo brasileiro está incentivando que os estudantes brasileiros venham aqui para a Índia”.

Dilma Rousseff, durante o discurso em dilmês rústico que encerrou o Fórum Empresarial Brasil-Rússia, revelando que, submetido a mudanças de fuso horário, o neurônio solitário pode achar que acabou de chegar a Nova Delhi quando já está de partida de Moscou.

Vaias inesquecíveis

No final dos anos 70, Paulo Maluf chegou acompanhado de Cláudio Lembo, candidato da Arena a senador, a uma festa no ginásio Ibirapuera. Foram recebidos com uma vaia inesquecível, totalmente dedicada a Maluf. No dia seguinte, ele ligou para o organizador da festa:
- Que vaia, hein?
- Pois é, doutor Paulo, queria pedir desculpas. A gente não esperava...
- Não se incomode com isso – cortou Maluf – esse Lembo não tem mesmo prestígio nenhum. Se eu soubesse que era ruim de povo, não teria ido com ele...

Põe na conta

A Viúva é cega, rica e surda: Dilma vai enviar assessores à China, África do Sul e Japão para tentar reverter o embargo à carne brasileira. O Itamaraty tem diplomatas melhores e mais baratos nesses países.
CH

Dirceu diz que operação da PF é 'tentativa clara de atingir' Lula

E a gente não sabia que tanto o STF como a PF são do PSDB. Estamos por fora.

Pesquisa Datafolha indica reeleição de Dilma no 1º turno

Quase dois anos nos separam das eleições e o DataNada vem com essa futrica. Vai que o mundo acabe ou mesmo eu  saia candidato?

Não duvidem! O povo gosta mesmo é de porcaria. Vejam só os programas televisivos de maior audiência, os livros que fazem sucesso e os políticos eleitos.

Sobre a fúria tributária das autoridades

“Homens de gênio profundo apresentaram-lhe projetos. Imaginara um lançar impostos sobre a inteligência.
- Todos –dizia ele- se apressarão a pagar, pois ninguém que passar por tolo.
- Declaro-o isento - retrucou o ministro.”

O Homem dos Quarenta Escudos- Voltaire

Quem come o nosso dinheiro? O rato ou o gato? Esses bigodudos...

Nada como um país feito de Sem-Terra, Sem-Teto, Sem-Cabeça e Sem-Vergonha.

Impostos e ladrões. Quanta produção!

Seguidores

Arquivo do blog