terça-feira, 15 de abril de 2014

“A sorte não agracia fulano ou beltrano por merecimento. A sorte cavalga no vento, e sem escolher, cai às vezes no colo de um imprestável.” (Filosofeno)

Seguidores

Arquivo do blog