segunda-feira, 12 de maio de 2014

A cada dia que passa ficamos sabendo de crimes abomináveis,fúteis, tendo como agravante a tortura. Não estará na hora de penas de até 50 anos ou prisão perpétua para estes crimes terríveis?

Um exemplo de crime bárbaro.

Manicure é sequestrada, torturada e morta após suposto roubo de dinheiro

Laura Maia de Castro e Mônica Reolom - O Estado de S. Paulo
Atualizada às 18h03
Três pessoas foram presas suspeitas de envolvimento no caso - Hélio Torchi/Estadão Conteúdo
Hélio Torchi/Estadão Conteúdo
Três pessoas foram presas suspeitas de envolvimento no caso
SÃO PAULO - A manicure Ane Kelly Santos, de 26 anos, foi sequestrada, torturada e assassinada em Barueri, na Grande São Paulo, porque teria furtado R$ 27 mil de um bandido da vizinhança. Um vídeo entregue à Polícia Civil nesta sexta-feira, 9, mostra Ane sendo torturada por cerca de três horas por quatro pessoas. Por causa das imagens, a polícia conseguiu identificar três suspeitos, que foram presos na manhã deste domingo, 11.
Segundo o delegado Itagiba Franco, titular do Divisão de Homicídios do Departamento de Homicídio e Proteção a Pessoa (DHPP), Jacson Nunes Pereira, de 21 anos, guardava R$ 27 mil em casa, dinheiro proveniente de roubos de motos e carros, e começou a perceber que a quantia estava sendo roubada. Desconfiava de três pessoas: de sua namorada, Renata Fonseca da Silva, de 27 anos; de seu amigo Valmir Lima de Oliveira, de 27; e de Ane Kelly, sua vizinha, que fazia faxinas esporádicas em sua casa. A primeira informação divulgada pela polícia era que a manicure era acusada de roubar alimentos.
Apesar de também suspeitar de Renata e Oliveira, Pereira desconfiava principalmente da manicure, que havia algum tempo estava comprando coisas, como uma televisão, incompatíveis com sua renda. Em depoimento, Pereira afirmou que ela roubou todo o dinheiro que havia guardado. "A gente trabalha para conseguir as coisas e é roubado", disse, em depoimento à polícia.
Pereira levou os três para um barraco na região, onde ficam usuários de droga. A ideia era matar todos que estivessem envolvido o roubo. Primeiro, começou a tortura pela manicure. Na primeira coronhada, ela teria confessado o roubo. Então, Pereira, seu amigo, a namorada e um menor que usava drogas no local tentaram enforcá-la, furaram um de seus olhos com um garfo, a queimaram, atiraram em seu pé e martelaram o dedão de um dos pés.
Quando Ane Kely estava desacordada, eles a carregaram até uma vala, a um quilômetro, que Pereira teria cavado antecipadamente. No vídeo feito por Renata e apreendido pela polícia, a namorada afirma que a moça ainda está viva. Um dos suspeitos, então, bate com uma enxada na manicure, que é enterrada em seguida. A polícia aguarda exames para saber se ela foi enterrada viva.
Pereira, Oliveira e Renata foram identificados com base nas gravações em poder da polícia e presos na Rua Bartolomeu de Gusmão em Barueri.
Ane Kely, mãe de cinco filhos, estava desaparecida desde o dia 25 de abril e a família já havia registrado um boletim de ocorrência no 2°DP de Barueri por causa do desaparecimento. Nas redes sociais, amigos e familiares prestam homenagens a manicure. "Para mim você continuará viva em meu coração", publicou Nathalia Araújo Silva.

Seguidores

Arquivo do blog