domingo, 25 de maio de 2014

Gramática na cabeça

Quando falava, o cearense Carlos Alberto Arruda agredia cruelmente o vernáculo. Mas, justiça seja feita, vivia preocupado com isso.
Certa vez, num comício em Sobral (CE), ele levou a assessoria ao desespero, maltratando a língua pátria. No final, quis saber:
- E então? Errei muito?
- O senhor cometeu 99 erros…
- Cuméquié? – o candidato não acreditou.
- Cem.
DP

Seguidores

Arquivo do blog